A estratégia kamikaze da SCOTT SRAM no Campeonato Mundial de XCM

Mountain Bike 3 oct. 2021 17:10 Guilherme

Uma das grandes atrações do Campeonato Mundial XCM 2021 foi a presença de Nino Schurter. O 9 vezes campeão mundial de XCO chegou com a intenção de conseguir sua segunda camisa arco-íris este ano, acompanhado por seus companheiros de equipe SCOTT SRAM; Andri Frischknecht e Lars Forster. Nenhum terminou a corrida.

A SCOTT SRAM testou uma estratégia muito agressiva no Campeonato Mundial XCM

Anos atrás as corridas de XCO eram consideradas quase eventos de endurance em que os ciclistas economizavam energia para tentar surpreender no final. Hoje em dia, as provas são cada vez mais agonizantes e o ritmo se mantém o mais alto possível do início ao fim. Um dos responsáveis ??por ser assim foi, sem dúvida, Nino Schurter.

O suíço gosta de manter o ritmo o mais tenso possível nas provas de XCO e é até um daqueles que acelera e realiza ataques nas áreas de descanso, algo impensável até muito recentemente. Mas as corridas XCO duram cerca de 1 hora e 20 minutos e o nível atual dos ciclistas permite que eles mantenham esse ritmo durante esse tempo.

E parece que foi esta a estratégia que Nino Schurter e os membros da SCOTT SRAM tentaram realizar no Mundial de MTB Maratona de Capoliveri, salvo que estamos perante uma prova de mais de 6 horas.

Todos os ciclistas concordaram no final que o ritmo e as acelerações contínuas no início marcaram o resto da prova, e até o vencedor, o alemão Andreas Seewald, declarou que as primeiras voltas cobraram seu preço e ele teve que saber como se recuperar.

O primeiro a lançar um ataque praticamente kamikaze foi o suíço Andri Frischknecht, que antes do quilômetro 15 partiu sozinho e ficou em primeiro por cerca de 10 quilômetros. A partir daí, favoritos como o alemão Andreas Seewald, o tcheco Martin Stosek ou o próprio Nino Schurter continuaram com uma corrida cheia de acelerações e mudanças de posição que começou a coletar retiradas importantes como a de Lars Forster no quilômetro 37 devido a um quebra de corrente, a do próprio Frischknecht no quilômetro 71, quando ele vinha lutando há algum tempo para não cair do top 10, ou a de Nino Schurter no quilômetro 73 com problemas gástricos.

A desistência de Nino Schurter é algo completamente inusitado já que ele é um dos ciclistas que se mantem na corrida até o final, mesmo quando as coisas não saem como ele espera.

Foi assim que a própria SCOTT SRAM explicou o que aconteceu em Capoliveri:

"A última corrida da temporada não terminou como esperávamos. Lars Forster quebrou a corrente, Andri Frischknecht pagou por seu ataque solo no início da corrida e Nino Schurter teve problemas de estômago na última volta. No entanto, os meninos tentaram seriamente e lideraram a corrida durante bastante tempo. Levamos muitos ensinamento dessa primeira tentativa no Campeonato Mundial de Maratona.

Nota: para sobreviver a uma corrida de quase 6 horas com 115km e 4500 metros de subida é necessário um tempo de preparação específico. Algo que não aconteceu com o nosso calendário de corridas. Do lado positivo, seguimos desfrutando da nossa estadia em Elba. Finalmente é hora de comemorar uma boa temporada e descansar para o que está por vir."

A verdade é que os ciclistas da SCOTT SRAM acrescentaram muito espetáculo a este Campeonato Mundial de XCM e não temos dúvidas de que, se Nino Schurter tentar novamente, a estratégia continuará sendo muito parecida.

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!