O que é exatamente treinar por sensações? Quais são as vantagens e desvantagens?

Treinamento 18 oct. 2021 22:10 Guilherme

O eterno debate ganha agora uma posição: treinar por sensações volta a ser uma opção e tem suas vantagens.

Desde o surgimento, fundamentalmente, da equipe Sky e dos potenciômetros e fones de ouvido, a mudança no ciclismo tem sido notável. E não só para melhor, não só para conhecer melhor os parâmetros em que se movem os ciclistas profissionais, para medir melhor as capacidades físicas individuais de cada ciclista, mas também para ver menos espetáculo, para confiar menos nas capacidades do ciclista alheio a sua forma física, ao seu talento. Hoje, treinar por sensações tornou-se uma opção alternativa que vem conquistando cada vez mais adeptos, seja pela razão que seja. Explicamos do que se trata e as vantagens que leva treinar por sensações.

ciclismo-entrenar-por-sensaciones

Treinar por sensações, o que é?

Quando você treina, seu corpo transmite sinais sobre seu estado atualizado, sobre a frequência cardíaca, sobre a exigência. Existem elementos que você não pode controlar e que mostram de forma clara e evidente como você está fazendo este exercício. Esses sintomas que se destacam são sensações, e o conceito de treinamento por meio das sensações concentra-se neles.

Sim, é o que foi feito durante toda a sua vida e não é ao mesmo tempo. Porque não se baseia apenas em sentir essas sensações e adaptar-se a elas, mas em saber medi-las e identificar o que estão dizendo e isso, como todo, também implica um treinamento compreensivo para poder treinar por sensações de uma maneira correta.

ciclismo-entrenar-por-sensaciones

Sem dúvidas se trata de um método científico, te colocamos na situação: treinar por sensações é um método totalmente válido e científico baseado na Escala de Percepção de Esforço, escala que foi pensada e posta em prática por Gunnar Borg, psicólogo sueco, em 1975. Borg comprovou que, de fato, o grau de esforço podia ser medido, e não era um elemento absolutamente subjetivo. A partir daí, treinar por sensações foi possível com base na autodenominada “Escala RPE de Borg”.

Assim, treinar por sensações consiste em eliminar das fases do treinamento todos os dados dos medidores eletrônicos que o ciclista incorpora. Isso não significa que você não possa carregar um monitor de frequência cardíaca ou potenciômetro, mas que os dados que darão não serão usados ??pelo preparador físico para exigir determinados watts ou pulsações, mas para orientar o ciclista em seu autoconhecimento e na auto identificação de seus estados de forma.

ciclismo-entrenar-por-sensaciones

Vantagens e desvantagens de treinar por sensações

As desvantagens do treino por sensações são claras e evidentes: se perdem muitos dados que são muito importantes na atualidade para planejar os picos de forma do ciclista diante do calendário que ele desenhou para uma temporada. É que treinar por sensações não é uma mudança que pode ocorrer da noite para o dia com resultados, mas sim que uma mudança brusca exige um tempo refratário, ou seja, uma fase de readaptação a um novo método de treinamento.

O que é uma realidade, para além de treinar por sensações ou por valores e do debate que isso acarreta, é que atualmente os mecanismos de medição eletrônica têm posto de lado este tipo de treinamento. Mas esses mecanismos, já sabemos hoje, também têm seus riscos.

Esses riscos incluem, por exemplo, perda de autoconhecimento. Existem ciclistas, e sempre se costuma citar Alejandro Valverde, que tem um conhecimento de sua situação, suas capacidades e sua forma totalmente absoluta. Sabem a todo momento medir seus esforços, até onde podem chegar e até romper valores que eram os que se esperavam deles. Mas esse autoconhecimento se perdeu. Hoje os ciclistas colocam os watts indicados por uma máquina programada com os cálculos de um preparador físico e, com ele e o fone de ouvido, o ciclismo perdeu mais da metade do espetáculo de outrora. Acabaram os ataques com a alma, ainda sem forças, que mais tarde cobrariam seu preço; acabaram as fugas perseguidas com determinação. Os watts estão lá e mantendo esses watts, eu ganho. Essa é a mentalidade de muitos ciclistas hoje. O treinamento por sensações busca exatamente o oposto.

ciclismo-entrenar-por-sensaciones

Este também é o caso das pressões sofridas por um ciclista. Anteriormente, era ele ou ela quem controlava seu ritmo. Ele ou ela que conhecia sua cadência, suas sensações e pedalava em consequência. Hoje em dia tudo se mede: se te falam pelo fone para aumentar a potência, você aumenta, porque sabem que o seu valor pode ser mais alto. Assim, o aspecto crítico do ciclista foi perdido, tornando-se pseudo máquinas. Treinar com sensações evita isso: ninguém pressiona o ciclista em seu desenvolvimento, se ele não está dando o máximo é sua decisão: talvez ele esteja se conservando, talvez não esteja bem, talvez os dados estejam errados ou talvez ele esteja evitando uma lesão.

Assim, treinar com sensações, em terceiro lugar, auxilia na preparação mental e na motivação do ciclista, que vai aprendendo de si mesmo quando fazer algo ou quando evitar. Ele está se conhecendo, está aprendendo e está regando e cuidando de sua motivação. Porque é o ciclista que tem que analisar a corrida para tomar decisões, e ninguém lhe diz o que fazer ou não fazer no que diz respeito ao desenvolvimento de sua pedalada.

ciclismo-entrenar-por-sensaciones

E, finalmente, o treinamento por sensações é ótimo para que o ciclista se forme como um ciclista. Para que conheça os processos e fases do treinamento, e não seja uma entidade simples que segue um padrão marcado sem questionar o porquê. Portanto, na fase de formação dos mais jovens, é essencial.

Normalmente, um modelo híbrido, em que um treinador profissional prepara certas variáveis, o calendário, os picos de forma, mas é o ciclista que tem alguma liberdade aprendendo a treinar pelas sensações e aprendendo a conhecer e aplicar essas informações na corrida, são os modelos que funcionam melhor. Porque formam ciclistas completos, capazes de superar situações em que ninguém lhes diz o que fazer, conhecendo-se melhor e trabalhando psicológica e mentalmente, não apenas fisicamente. Em outras disciplinas, é a ordem do dia. Portanto, considere treinar por sensações, se é que já não o faz.

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!